Notícia

Flipoços 2019 mantém tradição e doa obra para biblioteca pública do município


Como legado do Festival Literário Internacional de Poços de Caldas, foi entregue painel para Biblioteca Municipal Prof. Júlio Bonazzi

Como última atividade do Flipoços 2019, que aconteceu de 27 de abril a 05 de maio, a curadoria doou oficialmente o painel realizado pelo artista plástico Samora Delcio à Biblioteca Municipal Prof. Júlio Bonazzi, em Poços de Caldas (MG). Como tradição, durante a realização do Festival um artista é convidado para realizar uma obra que posteriormente é doada a algum local próprio do município. Foi assim em 2013, quando o muralista reconhecido internacionalmente Eduardo Kobra esteve no Flipoços e fez um painel retratando o escritor Ariano Suassuna (que também esteve no festival naquele ano) e os dois assinaram o trabalho. Esse quadro de valor histórico encontra-se na Biblioteca Municipal Centenário e hoje é ponto de visitação. Depois em 2014 a grafiteira Evelyn Queiroz “Negahamburguer” veio ao Festival e criou um painel que foi doado para a Escola Padrão.

Já em 2015, o Flipoços completou 10 anos e Ziraldo foi o patrono do Festival, sendo realizado um painel em stêncil pelo artista plástico Marcelo Abuchala, retratando vários rostos dos convidados daquela edição e assinado por eles, inclusive pelo próprio Ziraldo, o que seria também um quadro histórico. Esse painel foi doado em solenidade para as Thermas Antonio Carlos, mas lamentavelmente, com tantas mudanças de gestão o painel desapareceu das Thermas e Poços perdeu o objeto do seu acervo histórico.

Agora, em 2019, a curadoria convidou o artista mineiro Samora Delcio, considerado um abstratista moderno e com arte que se caracteriza pela liberdade expressiva. Foi com o espírito leve que o artista construiu o painel na mesa Literatura e Artes no Flipoços 2019 e que agora foi doado à Biblioteca Prof. Júlio Bonazzi, no bairro Santa Rita. Segundo a coordenadora das Bibliotecas a doação do painel dará um colorido especial ao local. “Temos um problema de vandalismo e descaso nessa Biblioteca, esperamos que com essa revitalização a comunidade passe a vir mais ao espaço e dar mais valor a ela que é um local que ficou ainda mais agradável com a obra colorida do Samora”, conta Angela Nogueira. Para a curadoria do Festival, é gratificante deixar marcas do Flipoços por toda cidade. “Somos uma cidade literária desde a fundação - conta a curadora Gisele Ferreira - essa atmosfera foi potencializada pelo Flipoços e, quando temos a possibilidade de contribuir com essa história, ficamos muito contentes. Doar esse painel para a ‘Biblioteca do Monjolinho’ representa a continuidade de um trabalho em prol do livro, leitura e literatura”. A solenidade de doação ocorreu no dia 05 de setembro, na biblioteca e contou com a presença de representantes das Secretarias Municipais da Cultura e Educação, Superintendência Regional de Ensino, SENAC, Unip e apoio da Big Pão.

Fipoços 2019 em números: 90 mil visitantes entre moradores da cidade, visitantes de outras regiões e vários estados do Brasil. 80 expositores juntos venderam R$ 2,2 milhões. 100 mil títulos diferentes nos estandes da Feira. O Festival recebeu 160 convidados. 100 horas de programação. Escritores de 6 países (EUA, Síria, Uruguai, Colômbia, Portugal e Itália). 500 pessoas participam da cadeia produtiva do evento. 300 escolas e unidades educacionais de toda a região também passaram pelo evento. 70% de ocupação na rede hoteleira e também em aplicativos de hospedagem na cidade. Em 2018, o festival recebeu o troféu de vencedor na categoria Cadeia Produtiva do Prêmio IPL - Retratos da Leitura 2018. O Flipoços 2020 já tem data definida – de 25 de abril a 03 de maio – e vai falar sobre “Mulher e Literatura: da poesia ao poder”. Acesse o site para mais informações www.flipocos.com

 

Foi doado o painel do artista Samora Delcio para a biblioteca Prof. Júlio Bonazzi no dia 05 de Setembro como legado do Flipoços 2019.