poços de caldas

Nossa Cidade

A história de Poços de Caldas começou a ser escrita a partir da descoberta de suas primeiras fontes e nascentes, no século 18. As águas raras e com poder de cura foram responsáveis pela prosperidade da cidade quando as terras começaram a ser ocupadas por ex-garimpeiros, que passaram a se dedicar à criação de gado.



Na época, 1818, a região pertencia ao capitão José Bernardes Junqueira. Quando o senador Joaquim Floriano Godoy declarou de utilidade pública os terrenos junto aos poços de água sulfurosa, determinou também a desapropriação do local. O próprio capitão se encarregou de doar 96 hectares e suas terras para a fundação da cidade. O ato foi assinado no dia 6 de novembro de 1872, data em que se comemora o aniversário de Poços de Caldas.



Em outubro de 1886, Poços recebeu o Imperador Dom Pedro 2º. Ele veio acompanhado da Imperatriz Tereza Cristina, para a inauguração de um ramal da Estrada de Ferro Mogiana. Três anos depois, a cidade foi desmembrada do distrito de Caldas e elevada à categoria de vila e município. Seu nome tem relação com a história da família real portuguesa. Na época em que foram descobertos os poços de água sulfurosa e térmica, a cidade de Caldas da Rainha, em Portugal, já era uma importante terma utilizada para tratamentos e muito frequentada pela família real. Caldas da Rainha possui o mais antigo hospital termal em funcionamento no mundo, desde o século 16. Como as fontes eram poços utilizados por animais, veio o nome Poços de Caldas.

Em 1931, foram construídas as Thermas Antônio Carlos, um dos mais belos prédios da cidade. O balneário passou a oferecer uma série de serviços e tratamentos corporais a partir do uso da água termal, até então inexistentes no Brasil.



Na década de 40, era dos cassinos, Poços recebia a visita da aristocracia brasileira, que passava frequentava os salões do Palace Casino e do Palace Hotel. O presidente Getúlio Vargas tinha uma suíte especial no hotel, com a mesma decoração da que ele usava no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, então capital do país. O quarto ainda hoje preserva os móveis e o estilo da época. Mas uma das maiores atrações do hotel continua sendo sua piscina térmica, construída num suntuoso salão sustentado por colunas de mármore de carrara.

Entre os artistas que passaram pelo Palace Casino naquela época áurea estiveram Sílvio Caldas, Carmem Miranda, Orlando Silva e Carlos Galhardo. Estiveram também em Poços de Caldas personagens ilustres como Rui Barbosa, Santos Dumont, o poeta Olavo Bilac e o romancista João do Rio. Entre os políticos, o interventor de Minas Gerais durante o Estado Novo, Benedito Valadares, e o presidente Juscelino Kubitschek, entre outros, foram também presenças constantes.

Poços de Caldas também pertence à Associação Europeia Termal e Histórica (European Historic Thermal Towns Association), após assinatura de termo de adesão, em Caldas da Rainha (Portugal), tornando-se cidade fora da Europa a integrar o roteiro, formado por importantes balneários europeus.

E em 2016, Poços de Caldas, passou a ser “Poços de Caldas, cidade literária” pela Lei n. 9148/2016.

Espaço cultural da urca

Local

O antigo Cassino da Urca foi inaugurado em 31 de Dezembro de 1942. Construído em apenas 6 meses, o casino teve vida curta, pois a proibição dessa atividade deu-se em 1946. O prédio já recebeu diversos espetáculos de gabarito internacional. Na década de 60, o local abrigou a primeira faculdade de Poços de Caldas. Na década de 70 tornou-se Centro Administrativo Municipal. Na década de 80, transformou-se em Espaço Cultural, abrigando exposições, congressos e apresentações artísticas. A Urca é tombada pelo Patrimônio Histórico de Poços de Caldas e conta com dois salões grandes e dois salões menores, onde acontece simultaneamente a Feira Nacional do Livro e o Festival Literário - Flipoços. O Espaço Cultural da Urca conta com um amplo Teatro, chamado Benigno Gaiga onde acontecem as principais atividades e palestras do Flipoços.



Aprecie o belíssimo Espaço Cultural da Urca cercado pela Praça do Relógio Floral, Praça do Museu e os lindos Jardins do Parque José Afonso Junqueira, além da exuberância do Palace Hotel e Thermas Antonio Carlos que juntos formam o maravilhoso complexo arquitetônico e histórico de Poços de Caldas.


Teatro Benigno Gaiga

Este teatro foi restaurado em 2016 e recebeu todos os itens de segurança necessários. Mesmo assim, sua beleza se mantém e nele é onde acontecem alguns dos principais encontros com os autores e convidados do Flipoços. O Teatro acomoda com tranquilidade 500 pessoas, entre plateia e galerias. Ele é usado para diversas atividades que acolhem um grande público. Assim, desde palestras master, mesas redondas até atividades e peças de teatro, por exemplo, o Teatro da Urca é o local ideal nesses casos, para nossos visitantes.
Arena Cultural

É um espaço ludicamente decorado, que foi inovado a partir da edição do Festival em 2017. Neste local, acontecem diversas atividades: bate-papos com autores, contação de histórias, exibição de filmes, festas, lançamentos de livros, shows entre outros. A Arena Cultural por não ser um ambiente fechado com tendas, pode receber de 100 a 600 pessoas. Espaço chamado carinhosamente de Árvores Falantes, é composto por quatro lindos “ficus” que servem de suporte para toda decoração e permitem um aconchego especial em meio às arvores. 



Espaço Sesc Flipocinhos

Dedicado às crianças pequenas, o Espaco Sesc Flipocinhos conta com a Curadoria do SESC Minas. Ele recebe inúmeras crianças com agendamento de escolas e outras e oferece uma programação intensa de bate papo com autores, contação de histórias, teatros, brincadeiras, entretenimento e muito mais. O Espaço Sesc Flipocinhos pode receber ao mesmo tempo mais de 200 crianças.



Museu Histórico e Praça

Nosso Museu é um cartão postal! Além de ser o guardião de grande parte da história e memória da nossa cidade, durante o Flipoços ele recebe atividades inéditas. Nesse belo prédio histórico, na Biblioteca Nilza Meale, Sala Cassino e Pátio recebem atividades paralelas diariamente, atendendo um público mais intimista para assuntos mais intensos.